Início       Farlei        Física       Catequese 

 
 
 

      Formação de catequistas

 

Caro voluntário a catequista, saiba que catequizar significa fazer ecoar aos ouvidos a palavra de Deus como nos mandou Jesus: “Ide e fazeis discípulos meus” (Mt 28,19). Assim a Igreja procede “a fim de que, por meio da fé, tenham a vida em nome dele, para educá-los e instruí-los nesta vida, e assim construir o Corpo de Cristo” (CIC 4). Pretendo aqui ter dar as noções iniciais para essa tarefa a serviço de Deus de que a nossa comunidade tanto precisa. Tenha coragem e vá adiante!

 

A catequese é baseada nas Sagradas Escrituras e em Cristo

 

Sabemos que a Bíblia é uma carta de amor de Deus para a humanidade e ensinar os seus segredos “é desvendar na Pessoa de Cristo todo o desígnio eterno de Deus que nela se realiza. É procurar compreender o significado dos gestos e das palavras de Cristo e dos sinais realizados por Ele” (CIC 426). Assim quem ensina é Cristo e o catequista é seu porta-voz quando permite a Cristo ensinar por sua boca. Dessa forma o catequista deve se reduzir para levar algo maior do que si mesmo.

 

“Quanto a você, permaneça firme naquilo que aprendeu e aceitou como certo; você sabe de quem o aprendeu. Desde a infância você conhece as  escrituras; elas têm o poder de lhe comunicar a sabedoria que conduz à salvação pela fé em Jesus Cristo. Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, preparado para toda boa obra” (2Tm 3,14-17).

 

Há apenas uma passagem na Bíblia sobre a catequese, veja: “Aquele que recebe o ensinamento deve repartir todos os seus bens com o catequista” (Gl 6,6). Mas você não vai colocar a mão no dinheiro de ninguém! A catequese não é informativa, mas é performativa, pois nos transforma quando a aprendemos. Por isso os catequizandos nos entregam o seu ser como sendo os seus bens, pois educar é crescer para uma nova e melhor realidade. Se o padre te pagar em sorriso já é muita coisa...

 

Como disse São Jerônimo: “Ignorar as Escrituras é ignorar Cristo” (CIC 133). Por isso nós devemos ter claro em nossas mente que “o ato da pregação e o ato da catequese devem estar penetrados de adoração e de respeito pelo nome de Nosso Senhor, Jesus Cristo”  (CIC 2145). Então podemos dizer que a Igreja é cristocêntrica. Nossa função como Igreja é cuidar do rebanho que Jesus Cristo nos confiou e vai pedir contas da nossa sincera dedicação.

A função da catequese está na formação de cristãos aos moldes de Jesus Cristo, isto significa crescer como pessoas ativas e generosas na comunidade. Para tal o catequista deve emprestar a sua voz a Cristo, levando assim a mensagem de Cristo e não as opiniões pessoais do catequista. Como é essa mensagem?

a) Orientação precisa e detalhada dos fundamentos da doutrina católica.

b) Exposição de pesquisa bibliográfica profunda de alto nível intelectual.

c) Sempre de mãos dadas em oração e desabafando as suas dores. 

d) Mais do que informar ela deve transformar a alma na luz de Cristo.

e) Prevenindo e reprovando todos os inúmeros erros da sociedade.

 

A catequese não é apenas um serviço voluntário, pois São Paulo disse: “Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho!” (1Cor 9,16). Ele sempre imita a Cristo (1Cor 1,11) que sempre trabalha como o Pai (Jo 5,17). Com base na Bíblia você pode esquecer essa história de aposentadoria. Porém o seu consolo é que o trabalho pode ser agradável, pelo menos de vez em quando, mas sempre junto com Jesus. Assim sabemos que o trabalho é duro e o pagamento compensa: estar junto de Cristo!

 

O catequista deve ter um bom hábito de leitura da Bíblia já a um bom tempo se quer receber essa responsabilidade. Quem é chamado para cantar deve aprender a cantar primeiro, e aqui, é preciso primeiro já estar lendo bem a Bíblia. Você precisa saber aquilo que vai ensinar, o contrário seria tentar vender um produto que nem existe. Tal como ensinar sem ninguém aprender é como vender sem ninguém comprar. Então também pegue firme para ler o Catecismo da Igreja Católica (CIC), onde está toda a nossa doutrina e assim todo o conteúdo da catequese.

 

Livros bases como a Bíblia, o Catecismo e o Compêndio, mais os livros textos

adotados pela capela Santa Rita de Cássia para primeira Eucaristia e Crisma.

 

Estes livros deverão ser comprados pelo próprio catequista, porém no caso do valor ser representativo ao catequista a própria catequese deverá lhe disponibilizar o texto básico do curso específico. O preço é R$ 20,00 do Livro do Catequista, R$ 5,50 de cada um do catequizando da 1ª Eucaristia, R$ 10,00 para o da Crisma. E como bom complemento existe a R$ 30,00 o Catecismo da Igreja Católica e a R$ 16,00 o seu Compêndio. Uma Bíblia custa em torno de R$ 18,50, a mais barata.

 

          Livraria Católica Chama                                      Livraria Católica Recado

          Rua Duque de Caxias, 1553. 3622-7518.          Rua Cons. Oscar Rodrigues Alves, 495.        

          Rua General Osório, 26-A.    3624-3931.          Perto da padaria Bandeirantes. 3624-7391.

 

O principal livro da catequese é a Bíblia, assim todo catequista deve ter um sólido hábito de leitura desta. O importante não é a simples memorização, mas interiorizar e viver o seu ensinamento, que dentro desse contexto ainda vai bem forçar um pouco a memória para vivenciar melhor essa sabedoria. Como lidar com a Bíblia? 

a) Usá-la como uma carta de amor que nos orienta na caminhada.

b) Desenvolver um estudo histórico crítico dela na civilização.

c) Usá-la como manual preciso da vida centrada nos preceitos.

d) Trabalhá-la como base de julgamento moral da sociedade.

e) Enaltecê-la com base na repetição de textos pragmáticos.

 

A humildade e a dedicação são fundamentais no seguimento de Cristo. Nisso observe as figuras a seguir, em que temos uma ilusão de óptica, você pode imprimir e recortar a curva na imagem, aquela que ficar por baixo sempre parecerá ser a maior. Mas como isso é uma ilusão de óptica a mensagem seria uma ilusão também?  Não. Isso mostra que o valor de todos na dignidade continua de igual tamanho, assim o aumento está na oportunidade de ajudar. Isto é a autoridade eclesiástica!

 

A ilusão de óptica acontece quando se recorta e se coloca um sobre o outro

 

Agora você deve estar entendendo e deve saber que na catequese alguns dos termos mudam em relação a escola, no lugar de professor é catequista, no lugar de aluno é catequizando e ao invés aula é encontro. Às vezes escapa... Mas o importante é ter consciência da natureza da catequese: uma educação na vida cristã centrada na pessoa de Jesus Cristo. Nela temos a Bíblia como principal livro didático e a nossa prova não é uma folha de papel escrita, ela é escrita no coração ao longo da vida.

 

Como se faz os nossos encontros de catequese

 

Nós pedimos que vocês sejam unidos ao modo de pensar para que “estejam todos de acordo no que falarem e não haja divisão entre vocês” (1Cor 1,10). Começamos os nossos encontros com uma oração, normalmente a Invocação ao Espírito Santo e devemos lembrar que “a memorização das orações fundamentais oferece um apoio indispensável à vida de oração, mas importa grandemente fazer com que saboreie o sentido das mesmas” (CIC 2688).

 

Invocação ao Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da Terra. Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

Sempre que possível colocamos dois catequistas por turma tal como Jesus mandou os seus discípulos “dois em dois”, mas conforme a necessidade pode ser apenas um. Eu comecei sozinho e com duas turmas... A lealdade de avisar o companheiro quando não puder comparecer é muito importante. Ambos precisarão preparar os encontros com base nos livros usados, que já possuem sugestões de dinâmicas, mas é lógico que vocês podem trazer ainda mais idéias de atividades.

 

O programa Escola da Fé é apresenta pelo Prof. Felipe Aquino toda quinta-feira

das 20:30-22:30hs na emissora Canção Nova. Também passa na internet.

 

Na matrícula já é pago pelos pais na secretaria R$ 10,00 e eles recebem o livro texto. Todo catequizando também deve levar a sua própria Bíblia. Você pode pegar outros livros ou DVDs na secretaria, desde que seja agendado com antecedência para que dois catequistas não queiram usá-lo ao mesmo tempo. Também há verba no caixa da catequese para marcar fotocópias na livraria indicada. Vocês podem trazer outros materiais e até mesmo palestrantes. Aproveitem para inovar, mas sem abusar.

 

As turmas são formadas apenas no começo do ano, com de pré-catequese para os mais novos, as de 1ª Eucaristia em que a idade de início é de 9 anos a completar 10 anos no ano que se inicia o curso de 2 anos (4ª e 5ª séries), perseverança para quem está na idade entre 1ª Eucaristia e Crisma e a Crisma com idade de início de 13 anos a completar 14 anos no ano que se inicia o curso de 2 anos (8ª série e colegial). Aos mais velhos há a Crisma de adultos para todos os sacramentos em atraso, em 1 ano.

 

Os encontros são de 1 hora semanal no total de 60 horas em 2 anos, e para manter os 75% de presença são aceitas apenas 6 faltas justificadas para os catequizandos nos 2 anos do curso, contadas depois da páscoa. O catequista não pode  ficar mudando os horários das turmas e deve conscientizar e cobrar dos catequizandos a presença na missa, pois a falta é grave. Mantenha atenção a sua responsabilidade ao horário dos encontros e nem os libere mais cedo para não atrapalhar outras turmas.

 

Comece o encontro fazendo uma boa acolhida com oração e deixe a turma sentada em círculos, converse com eles levando o ponto de vista deles em consideração e não espere respostas automáticas, mas deixe tempo para pensarem e alimente a discussão. Use uma linguagem simples, clara e coerente. Nunca use tom infantil, seja natural, firme e simples. Avalie-os perguntando em como a catequese está fazendo diferença em suas vidas e quais as suas motivações pessoais. Avalie os encontros conversando com eles e como eles estão crescendo com a convivência na catequese.

 

Use a lousa para fixar alguns pontos importantes, copiar alguns tópicos ajuda-os no processo de interiorização da mensagem. Mas apesar daquelas caras de anjinhos, não devemos esperar e nem desejar crianças quietinhas demais, queremos gente ativa e criativa, mas com disciplina e vontade de aprender. Em uma escola o aluno ideal não é aquele que aprende sozinho, pois aprenderia com qualquer professor folgado, mas aquele com vontade de aprender, independente da inteligência dele.

 

Tal como um professor o catequista vai entender o que é ter alunos “santinhos”

 

Quanto à disciplina dos catequizandos devemos lembrar que ela precisa se basear na disciplina do próprio catequista e na confiança deste. Nada funciona a ferro e fogo, é preciso respeito e admiração. O planejamento permite evitar espaços para a bagunça e manter o ritmo da turma. Isso corta a platéia dos palhaços, que sempre apóiam o mau comportamento de que eles mesmos reclamam depois... Aqui a experiência como professor ajuda desde que não seja exatamente reproduzida na catequese.

 

Quando funciona nós temos uma base de argumentação sólida para exigir a disciplina dos outros.  Depois, bilhetes e tarefas ajudam, se não parar por aí uma reunião com os pais é mais que aconselhável, a propósito, é necessário fazer uma por semestre pelo menos. Se ainda não resolver passe o caso para o padre e o catequizando poderá esperar para fazer no ano seguinte já mais amadurecido. E sempre lembre-se de que “cabeça vazia é oficina do diabo” e o trabalho flui na MOTIVAÇÃO.

 

             

Faça reuniões com os pais, e se for marcar estas fora de horário avise a secretaria. Essas regras são necessárias... Envie um bilhete explicando o tema a ser tratado na reunião e cobre um visto dos pais confirmando o seu recebimento. Faça da reunião um encontro, usando sobre o tema um vídeo ou texto (que pode ser da Bíblia), com oração inicial e final, desenvolva uma dinâmica sobre o tema para maior participação e dê como tarefa algo de concreto  como crescimento permanente. Trabalhando o tema chame a atenção com sutiliza e não faça da reunião um sermão de diretoria.

 

Um dos maiores obstáculos da educação é a indisciplina, está, porém, pode ser combatida com técnicas e na autenticidade da disciplina pessoal do próprio catequista. Os catequizandos devem ser motivados e sempre responsabilizados pela sua recepção à motivação, dentro do seu livre-arbítrio. Como puxá-los à vida verdadeira? 

a) Fritando sempre em óleo fervente todos os mal criados.

b) Recordando o julgamento final e a pena do inferno!

c) Mandando para a sala do padre, sem você falar com eles.

d) Sentar e chorar. Tem gente que só entregando para Deus...

e) Transmitir bom gosto e pescá-los na mensagem de Cristo.

 

Visitas, como à Casa da Criança, podem ser feitas e são bem recomendadas devido ao amadurecimento que proporcionam. O catequista deve visitar o local primeiro e agendar lá, avisar o coordenador e a secretaria, e depois enviar os bilhetes aos pais. Combine com os pais deixarem e buscarem os filhos no próprio local. Seja cuidadoso em abordar o tema da visita antes e depois desta, além de socializar a sua experiência com os demais catequistas na reunião depois!

Preste atenção e veja o tipo de catequista que você nunca deve ser!

 

Para não perder a vontade de catequizar siga as regras ou o desânimo acabará com você! Você já percebeu que vai precisar de muita oração? Tem muito catequista que desiste quando não agüenta o atrito gerado pela falta de organização e porque não é nutrido de oração contínua. Pense nisso! Seja criativo, mas não destrua o patrimônio da igreja no processo. Tenha atitudes, mas deixe tudo de volta no lugar depois. Consiga fazer tudo isso sempre e você terá pouca dor de cabeça...

 

A equipe de coordenação e a integração dos catequistas

 

A pastoral da catequese deve ter uma coordenação unida, ativa e organizada, a fim dessas qualidades diminuírem a triste e significativa evasão de nosso grupo. Todos nós temos compromissos, mas adorar a Deus significa dar um jeitinho Dele sempre ficar em primeiro lugar na lista de compromissos. Essa equipe precisa de um coordenador, um vice-coordenador, um tesoureiro e um secretário para cuidar das atas das reuniões. É preciso fazer uma reunião mensal, e nesta todos os catequistas precisar ir.

 

“Certo homem tinha uma figueira plantada no meio da vinha. Foi até ela procurar figos, e não encontrou. Então disse ao agricultor: ‘Olhe! Hoje faz três anos que venho buscar figos nesta figueira [catequista], e não encontro nada! Corte-a. Ela só fica aí esgotando a terra [paróquia]’. Mas o agricultor respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e pôr adubo [dando um curso de formação]. Quem sabe, no futuro ela dará fruto! Se não der, então a cortarás’” (Lc 13,6-9).

 

Nós precisamos de certas regras para nos organizar e também de cumpri-las, não como simples obrigação a uma instituição, mas instrumento de evangelização. Por isso fique atendo à hierarquia, confiado pelo bispo , como sucessor dos apóstolos, temos o pároco no dever de ensinar, santificar e governar. Para cooperar com o pároco pode haver um vigário. Abaixo estão os coordenadores de pastoral, de modo que toda questão deve ser passada a estes, que por sua vez somente estes levarão aos padres.


Os catequistas devem ser presentes em reuniões (se precisar faltar avise!), missas e demais eventos, tal como ser exemplo de pontualidade, na entrada e saído dos encontros. Os catequizandos não podem ser liberados mais cedo por questões de segurança ao serem buscados pelos pais. Reuniões e tudo o mais que usem as dependências da igreja devem ser agendadas primeiro na secretaria. A TV e o DVD da sala de reuniões podem e devem ser usados, desde que agendados primeiro. Se houver encontros semanais na sala a prioridade é o uso do material agendado.

 

Um bom trabalho em equipe exige sacrifícios de todos em prol da catequese, assim não cabe ao catequista agir para chamar a atenção para si próprio. A catequese é um serviço e não uma carreira empresarial. Uma vez que o coração esteja direcionado ao objetivo da catequese o que mais é preciso para manter a motivação?

a) Expondo suas idéias prontamente para transformações urgentes.

b) Uso espontâneo dos recursos e salas da igreja para reuniões.

c) Ser companheiro, leal aos compromissos e agir pela crianças.

d) Chamar a atenção para resolver tudo na mesma hora.

e) Ter toda a paciência para se resolver todos os problemas.

 
As matrículas serão feitas na secretaria em data fixada no começo do ano, podendo ser matriculado em prazo posterior apenas em pré-catequese e perseverança diretamente, ou com uma autorização especial do coordenador, após análise do caso e antes de terminar a quaresma. O limite de vagas é em torno de 15 catequizandos por sala, podendo comportar um pouco mais se a sala comportar e o coordenador requisitar.

 

As turmas são formadas apenas no começo do ano e a idade de início para 1ª Eucaristia é de 9 anos a completar 10 anos no ano que se inicia o curso de 2 anos (4ª e 5ª séries), perseverança para quem está na idade entre 1ª Eucaristia e Crisma, e a Crisma com idade de início de 13 anos a completar 14 anos no ano que se inicia o curso de 2 anos (8ª série e 1º colegial). Aos mais velhos há a Crisma de adultos em 1 ano.


Os encontros são de 1 hora semanal no total de 60 horas em 2 anos, e para manter os 75% de presença são aceitas apenas 6 faltas justificadas para os catequizandos em cada ano do curso, contadas depois da páscoa. As ausências devem ser compensadas com trabalhos. Os catequistas devem incentivar os catequizandos a participar da missa toda semana e dar o exemplo, construindo a consciência desta responsabilidade grave.
 

Nesses três anos de catequese, e sendo o último como coordenador, tive como boa experiência na montagem e evolução de um a pasta, que aqui apresento o resultado atual como um Diário do catequista. Esse modelo é uma sugestão, aconselho ao coordenador de sua catequese ajustar para a necessidade da paróquia e mandar por e-mail com a sua própria agenda, normas e dados dos seus catequistas. Coletar esses dados no início e mantê-los a mão ajudam muito! Confie em mim...

 

                   

Todo catequista dever ser organizado, copie esse diário de catequese clicando aqui.

 

O coordenador deve mandar comunicados da catequese por e-mail e colar no mural da igreja para quem não tem domínio dessa tecnologia, e assim tornar acessível a toda a comunidade o andamento da catequese. Outra coisa boa, é mandar mensagens em celular recordando alguns eventos importantes do calendário. Uma boa idéia é imprimir e colocar cada um dos comunicados na pasta do Diário do catequista, mantendo em mãos tudo o que aconteceu ao longo do ano.

 

Quando estiver chegando a data da 1ª Eucaristia ou da Crisma cada catequista deve cobrar os R$ 10,00 da camiseta, os R$ 5,00 da vela e do certificado, mais 5% de um salário mínimo se for Crisma (+ R$ 27,50), a ser entregue para o bispo. Levar os catequizandos para provar a camiseta, tudo com 1 mês de antecedência. Verificar se foram batizados, caso não devem ser encaminhados para o batismo em tempo hábil. Sempre enviar os comunicados por escrito para os pais explicando tudo.

 

O coordenador deve agendar todas as datas com a devida antecedência na secretaria, providenciar os crachás dos crismandos, combinar com o fotógrafo, conversar com a equipe que canto, entregar o montante do bispo, verificar se o sírio pascoal está em condições de uso e se o número de folhetos disponíveis para essas missas. Além de cuidar da decoração da igreja. E rezar muito, pedindo paciência para agüentar fazer tudo isso conforme o calendário firmado no começo do ano.

 

A importância de ser catequista para toda a Igreja

 

Sabemos que todos nós seremos julgados pela retidão de nossos corações e não por nossas idéias, mas uma vez que se conheça a Igreja tal como ela é “não podem salvar-se aqueles que, sabendo que a Igreja Católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, apesar disso não quiserem nela entrar ou nela perseverar” (CIC 846). Precisamos reconhecer que uma pessoa de coração sincero assume a verdade e se conforma a ela.

 

“Reconheçam de coração o Cristo como Senhor, estando sempre prontos a dar a razão de sua esperança a todo aquele que a pede a vocês, mas com bons modos, com respeito e mantendo a consciência limpa. Assim, quando vocês forem difamados em alguma coisa, aqueles que criticam o bom comportamento que vocês têm em Cristo ficarão confundidos” (1Pd 3,15-16).

 

É um dever sagrado do catequista instruir para toda a vida e nisso também contém a preparação para se receber os sacramentos que dão à vida de fé do cristão origem e crescimento, cura e missão” (CIC 1210). Assim vemos o quão sério é o problema que a Igreja enfrenta atualmente na falta de uma boa e efetiva catequese. Este é o nosso maior desafio como comunidade de fé nesse início de século XIX e precisamos de bons soldados para essa valorosa guerra santa.

Isso mesmo meu filho, a guerra que é santa mesmo é uma guerra interior pela virtude em nossos corações, a mesma virtude que tanto é menosprezada pelo mundo. O qual devemos transformar ao invés de nos isolarmos dele. Saiba que assim você estará preparando soldados e não bebês chorões, pois precisamos de uma catequese de reconquista e não de uma catequese sossegada de manutenção, tal como se fazia antigamente. Essas são as necessidades de nosso tempo.

O cristão deve batalhar contra o dragão sobrenatural e o natural que é o pecado.

 

Outra coisa é o fato de que a Igreja não é obscurantista. Nós aceitamos os avanços científicos com grande alegria, os quais nos convidam a admirar tanto mais a grandeza do Criador” (CIC 288) e entendemos a beleza da “linguagem solene” (CIC 289) das Sagradas Escrituras quando nos ensinam as verdades da criação em caráter simbólico. Devemos acompanhar e incentivar o que se ensina nas escolas, tomando o cuidado de afirmar que o homem não é fruto do acaso, mas projeto consciente de Deus.

 

O papa João Paulo II reconheceu a teoria evolutiva de Charles Darwin como aceitável e assim que o homem tenha evoluído dos mesmos primatas de onde vieram os macacos.

 

 

Você faz parte de uma instituição de dois milênios de história, fundada pelo próprio Filho de Deus, que é uma família de cerca 1,15 bilhões de pessoas espalhadas por um mundo de cerca de 6 bilhões de habitantes (segundo o senso de 2000). Essa história precisa de você para continuar a levar o projeto de Deus, que é uma sociedade de amor, justiça e fraternidade a todos os seus filhos. Ser catequista é importante, nós somos parte do alicerce da fé e a Igreja precisa muito de todos nós.

 

 

Sabemos que a nossa Igreja foi fundada pelo próprio Filho de Deus e nos fortifica com sacramentos necessários para a nossa salvação. Como é função do catequista a instrução para tal maravilhosa graça essa responsabilidade exige o quê?

a) Ter em si a imagem de seriedade e disciplina para todas as obrigações.

b) Sentir o valor e ser coerente nas atitudes ao projeto de nossa salvação.

c) Exaltar rigidamente a santa Igreja Católica Apostólica Romana.

d) Nos justificar sobre as falhas das outras igrejas de nós separadas.

e) Ensinar todo o valor literal da obediência incondicional.

 
 
 

      Atividade

 

Ser catequista é chamado de Deus mesmo incluindo dificuldades, porque o próprio Jesus sofreu por nós. Então tenha a certeza que Jesus Cristo está ao seu lado. Agora escreve um comentário do porquê você está sendo voluntário para o desafio de catequizar, nos demonstrando as suas motivações pessoais para essa missão. Este comentário deve ter entre 10 e 15 linhas, coloque o seu nome e outros dados no final. Veja, a seguir, os melhores e depois deixe o seu texto no Fórum.

 

Decidi vir a catequese para dar resposta a Deus ao que Ele me permitia entender, sempre fui atraído a sabedoria como a um imã e por isso fiz física por necessidade existencial. Mas que me adianta esse tesouro se eu o possuir de forma egoísta? Compartilhar tudo o que tanto busquei por tantos anos, desde que me entendo por gente, parece ser mais coerente com a generosidade na qual nós fomos criados por Deus, que nos ama. Até onde vão os nossos mais santos desejos? Na indisciplina e má vontade de nossos alunos também vemos o quanto cada um de nós é indócil a Deus, mesmo em um grau menor. Creio ser justamente isso que estamos fazendo aqui. Eu já tenho quase três anos de experiência na catequese, sendo parte deste último como coordenador, e sei que as tarefas desanimam do nosso objetivo, tal que arrancam o sabor. Porém a saída está em revigorar o desejo pela verdade na oração. Esse esforço vale o peso em ouro e ventania nenhuma pode nos tirar do rumo quando estamos ao lado de Cristo.
Farlei Roberto Mazzarioli. Capela Santa Rita de Cássia. Araçatuba-SP. 09/11/2009.